A FACE SUTIL DA MULTICULTURALIDADE NA SALA DE AULA: Implicações na Educação Matemática

Renato Douglas G. L. Ribeiro

Resumo


Em uma sociedade plural e cada vez mais globalizada, a multiculturalidade não pode ser ignorada no campo da Educação, o que inclui a Educação Matemática, e o debate sobre a multiculturalidade é realizado por muitas diferentes vias. Por um lado, há a preocupação pela promoção de uma educação multicultural, que na Educação Matemática pode se efetivar no estudo das contribuições de diferentes povos na construção daquilo que chamamos por Matemática ou ainda na identificação do uso e produção, por grupos culturais, de ideias a ela associadas. Por outro lado, se relaciona com a atenção e resposta dadas pelas instituições de ensino à diversidade cultural que se faz presente em seu interior, considerando e valorizando os conhecimentos que os estudantes e a comunidade à qual pertencem apresentam, bem como outras especificidades decorrentes dessas singularidades. Este artigo procura sistematizar, a partir de reflexões realizadas em uma pesquisa de doutorado, esses aspectos da multiculturalidade na Educação Matemática e defende que a diversidade cultural dos grupos atendidos pelas instituições escolares se faz sempre presente, porém nem sempre é percebida ou tida como relevante no processo educacional, em especial pelos professores de matemática. Como decorrência da invisibilidade dessa face sutil da multiculturalidade, a aparente homogeneização cultural que é resultado de uma estereotipagem do grupo dos estudantes implica que esses contextos não sejam reconhecidos como contextos culturais.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de História da Educação Matemática