PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ARITMÉTICA EM UM CADERNO DE PLANOS DE AULA

Aparecida Rodrigues Silva Duarte

Resumo


Cadernos escolares vêm despertando crescente interesse como fonte de investigação por parte de historiadores da educação. Considerados como veículos de valores culturais e suporte de conhecimentos e de métodos de ensino, constituem-se em fonte relevante para se examinar os processos históricos e pedagógicos relativos à produção de saberes elementares, dentre eles os da Aritmética. Nessa perspectiva, busca-se compreender as práticas pedagógicas relativas ao ensino de Aritmética privilegiadas por professores da região da Zona da Mata mineira na década de 1960, tomando como principal fonte o caderno da professora Maria Alice Aroeira, contendo planos de aula, escrito durante o ano de 1964 em Ubá/Minas Gerais. Os resultados apontam que o referido caderno segue, em grande medida, as recomendações presentes no Programa do ensino primário de 1961 do estado de Minas Gerais.


Texto completo:

PDF

Referências


Aroeira, M. A. (1964). Caderno de aritmética e linguagem (caderno de professor) - Ensino Primário. Belo Horizonte, MG. Disponível em < https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/161036>. Acesso em 20 jan. 2017.

Búrigo, E. Z. (2016). Problemas aritméticos em livros, revistas e programas: um exercício de cruzamento de fontes. HISTEMAT. 2 (1), 190-204. Disponível em < https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/166864>. Acesso em 25 fev. 2017.

Chartier, A. M. (2000). Fazeres ordinários da classe: uma aposta para a pesquisa e para a formação. Educação e Pesquisa, 26 (1), 157-168, jan./jun. Disponível em < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022000000200011>. Acesso em 20 jan. 2017.

Chartier, A. M. (2007). Os cadernos escolares: organizar os saberes, escrevendo-os. Revista de Educação Pública, 16(32), 13-33, set./dez. Disponível em < http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/542/462>. Acesso em 20 fev. 2017.

Chervel, A. (1990). História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, 2, 177-229.

Costa, D. A. da. (2015). Repositório. Cadernos de trabalho. 3. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Duarte, A. R. S. et al. (2014). Os saberes elementares da matemática: um estudo das normativas para o ensino primário e normal de Minas Gerais - 1898 a 1970. In: COSTA, D. A.; Valente, W. R.(Org.). Saberes matemáticos no curso primário: o que, como e por que ensinar?. (pp. 63-97). São Paulo: Livraria da Física.

Faria Filho, L. M. et al. (2004). A cultura escolar como categoria de análise e como campo de investigação na história da educação brasileira. Educação e Pesquisa, 30 (1) 139-159, jan./abr. Disponível em < http://www.revistas.usp.br/ep/article/viewFile/27928/29700>. Acesso em 28 fev. 2017.

Hébrard, J. (2001). Por uma bibliografia material das escritas ordinárias: o espaço gráfico do caderno escolar (França – sécs. XIX e XX). Revista Brasileira de História da Educação, 1, 115-141, jan./jun. Disponível em . Acesso em 20 jan. 2017.

Julia, D. (2001). A cultura escolar como objeto histórico. Tradução Gizele de Souza. Revista Brasileira de História da Educação. 1, 9-43, jan./jun.

Minas Gerais. (1957). Secretaria de Educação. Estado de Minas Gerais. Programas: ensino primário elementar. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1957. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/124732> Acesso: 11 jan. 2017.

Minas Gerais. (1961). Secretaria de Educação. Estado de Minas Gerais. Programas: ensino primário elementar. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1961. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/104807>. Acesso: 11 jan. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista de História da Educação Matemática

Indexadores, Base de Dados e Repositórios:

HISTEMAT - Revista de História da Educação Matemática, e-ISSN: 2447-6447
Sociedade Brasileira de História da Matemática

Licença Creative Commons
HISTEMAT esta licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.