CURSOS EMERGENCIAIS DE LICENCIATURA PARA PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA

Arlete de Jesus Brito, Luzia Aparecida de Souza

Resumo


O presente artigo indica como, desde o período imperial, o ensino de matemática tem se caracterizado pela carência de professores com formação inicial adequada às legislações vigentes. Tal fato acarretou diferentes cursos e programas emergenciais de formação de professores de matemática. Aqui, focamos especificamente os realizados na região Norte e no sul do estado de Mato Grosso (que se torna Mato Grosso do Sul em 1977). São mobilizadas como fontes algumas das leis e orientações sobre a formação de professores no Brasil de forma a perceber como estas disparam e são disparadas pela movimentação de instituições em torno da criação e efetivação de cursos. Esse texto reforça o signo da carência e urgência nos discursos sobre formação e sobre a falta de professores como uma permanência e aponta para a necessidade de articulação desse debate às discussões acerca de plano de carreira e condições de trabalho, de modo que preparo, ingresso e permanência no magistério sejam pensados conjuntamente.  


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista de História da Educação Matemática

Indexadores, Base de Dados e Repositórios:

HISTEMAT - Revista de História da Educação Matemática, e-ISSN: 2447-6447
Sociedade Brasileira de História da Matemática

Licença Creative Commons
HISTEMAT esta licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.