OS EXAMES DE ARITMÉTICA NA LEGISLAÇÃO DO ENSINO PRIMÁRIO DO PARANÁ (1900-1960)

Lidiane Gomes dos Santos Felisberto

Resumo


Este artigo tem por objetivo analisar as prescrições referentes aos exames escolares do ensino primário na legislação paranaense do período de 1900 a 1960, atentando-se aos saberes aritméticos. A investigação, orientada pela História Cultural, tem como conceitos norteadores o de cultura escolar (Julia, 2001) e de representação (Chartier, 1990). Para a análise, além dos documentos legais, foram considerados os periódicos oficiais das décadas de 1940 e 1950. O estudo revela que em todo o período analisado a Aritmética era componente importante da cultura escolar, cobrada nos exames finais de todas as séries/anos. O conjunto dos textos legais indica que até a década de 1940 os exames eram condicionados pela organização da escola, mas que posteriormente os exames ganharam posição de destaque se tornando importantes instrumentos para direcionar o trabalho pedagógico e a própria organização escolar. Neste período, as representações em torno dos exames mudaram significativamente no Paraná pela crescente valorização da objetividade nos processos de verificação do aproveitamento escolar. Estas mudanças acompanharam o movimento nacional liderado pelo INEP e se concretizaram nas ações promovidas pelo CEPE, o qual fazia uso dos resultados dos exames para classificar os alunos em classes homogêneas e comprovar a eficiência do programa de ensino.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de História da Educação Matemática

Indexadores, Base de Dados e Repositórios:

HISTEMAT - Revista de História da Educação Matemática, e-ISSN: 2447-6447
Sociedade Brasileira de História da Matemática

Licença Creative Commons
HISTEMAT esta licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.