SISTEMA MÉTRICO DECIMAL COMO UM SABER ESCOLAR NO BRASIL: alteração das práticas escolares na segunda metade do Oitocentos

Elenice de Souza Lodron Zuin

Resumo


Neste artigo, sob a perspectiva de análise da História Cultural, apresento algumas considerações sobre minhas pesquisas. Procuro perceber representações e práticas, individuais ou coletivas, que refletem o modo de ler o mundo, quando o sistema métrico decimal deveria se tornar um saber escolar e o que orbitou em seu entorno, os prós e contras para sua legitimação dentro das escolas no Brasil. Temporalmente, o estudo se situa no século XIX, com destaque para a segunda metade do Oitocentos, quando houve a obrigatoriedade de o sistema métrico se tornar um dos conteúdos de formação geral. Os documentos e fontes primárias utilizados permitiram ler representações do passado explícitas e implícitas nos mesmos. Desvelaram-se representações inscritas nos discursos e nas ações traduzidas nas práticas escolares. Fatores de ordem política e/ou social impossibilitaram que a escolarização do sistema métrico ocorresse de modo mais efetivo no século XIX.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista de História da Educação Matemática

Indexadores, Base de Dados e Repositórios:

HISTEMAT - Revista de História da Educação Matemática, e-ISSN: 2447-6447
Sociedade Brasileira de História da Matemática

Licença Creative Commons
HISTEMAT esta licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.