CONSTRUÇÃO E MODIFICAÇÃO DA AUTONOMIA DOS SABERES MATEMÁTICOS ESCOLARES EM PORTUGAL

José Manuel Matos

Resumo


Durante a segunda metade do século XIX e início do século XX a disciplina de Matemática do ensino secundário foi sendo gradualmente construída em Portugal com as suas normas e práticas específicas acompanhando o processo de desenvolvimento de um ensino secundário público. Emergem professores certificados e são produzidos livros didáticos, programas, técnicas especiais de ensino, procedimentos de avaliação, etc. Este processo de consolidação termina com o que é descrito por Chervel como a emergência de disciplinas escolares que desenvolvem o que designa de autonomia e que Julia caracteriza como conjuntos de normas e práticas específicos da função escolar, contrariando a visão que entendiam estas disciplinas como meros prolongamentos de campos científicos. Nesta texto discutirei como se estabeleceu a disciplina escolar de Matemática no ensino secundário em Portugal e como se foi constituindo o seu saber profissional docente. Este processo é indissociável dos dispositivos de formação inicial de professores, pelo que observarei em particular os processos de legitimação profissional com especial atenção aos modos como a autonomia se foi construindo e modificando ao longo do tempo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista de História da Educação Matemática

Indexadores, Base de Dados e Repositórios:

HISTEMAT - Revista de História da Educação Matemática, e-ISSN: 2447-6447
Sociedade Brasileira de História da Matemática

Licença Creative Commons
HISTEMAT esta licenciada com a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.